fbpx

Blog

WordPress-cloud-hosting

Um site bem estruturado e com bom desempenho, é o desejo de qualquer desenvolvedor. Muito se busca sobre como conseguir maior rapidez ao exibir os conteúdos, imagens e vídeos no WordPress, mas poucos sabem o que realmente é necessário para tal feito. Métodos, técnicas e plugins tendem a ser aplicados, mas se você não souber do que precisa, nada vai adiantar. Hoje o WordPress permite realizar qualquer tipo de tarefa, seja ela simples ou complexa. Você pode usar recursos como os Plugins e Temas para solucionar grande parte dos seus problemas, ou então desenvolver suas próprias customizações com os Custom Post Types, por exemplo.

Vejamos como você pode ligar o Turbo em seu WordPress e aumentar a performance do seu site/blog drasticamente:

DÊ ATENÇÃO AO FRONT-END

Se você precisa melhorar a velocidade de exibição do seu site, a primeira coisa a ser analisada é o Front-end. É aqui que todo o trabalho que você desenvolveu é mostrado. Por isso, trabalhar bem a parte da frente de seu site é o primeiro passo. Analise as imagens da estrutura e do conteúdo. Opte pelo que for mais leve.

REQUISIÇÕES DESNECESSÁRIAS AO BANCO DE DADOS

Um dos erros mais comuns dos iniciantes no desenvolvimento de temas e plugins WordPress, é utilizar de forma demasiada as funções que fazem requisição direta ao banco. É importante saber o que cada função faz e reutilizar aquilo que já está disponível.

Geralmente, a informação que necessitamos para construir um modelo de página por exemplo, já está bem na sua frente através de um Loop de rotina. E por falta do conhecimento necessário, você requisita a mesma informação novamente. Muita atenção ao utilizar múltiplos bloginfo(). Este é um bom exemplo do uso de requisições desnecessárias e redundantes.

EVITE A MANIPULAÇÃO DE CONSULTAS PESADAS

Ainda falando sobre banco de dados, é importante evitar de realizar consultas pesadas ao banco de dados. O WordPress te oferece inúmeras chamadas de função. Elas que garantem praticamente todo e qualquer tipo de informação que você precisa para exibir aos seus usuários. Então, muita atenção ao empregar funções WP_Query e consultas via wpdb.

PREFIRA DADOS SERIALIZADOS PARA OPTIONS E META DADOS

Utilizar dados serializados e armazenados em formato de array, permite que através de uma única requisição ao banco, seja retornado diversas informações de uma única vez. Armazenar e buscar informações por meio de arrays evita que infinitas consultas sejam feitas ao banco de dados – o que acarreta em malefícios para o funcionamento do servidor.

REMOVA OS TAMANHOS DE IMAGENS QUE NÃO UTILIZA

Um ponto bastante desenvolvido e de inúmeras possibilidades, é o tratamento e manipulação de imagens dentro do WordPress. Trabalhar os tamanhos e padrões prefixados, ou não, é importante para manter um site com Front-end estável e leve. Se existem tamanhos definidos, mas que você não utiliza – não hesite em removê-los. Mantenha só o que é necessário.

DE OLHO NO USO DE PLUGINS

A facilidade no uso de plugins, é um dos grandes destaques que o WordPress nos dá. É preciso cuidado e conhecimento das necessidades ao se instalar plugins. Plugins demasiados afetam quase que instantaneamente o desempenho de um site. Se dá para resolver por código, não use plugin!

MANTENHA SEMPRE O MAIS SIMPLES

Regra básica no desenvolvimento de soluções digitais, preze sempre por aquilo que é mais simples. Todo desenvolvedor uma hora ou outra, tende a optar pelo mais complicado ou rebuscado. Porém, se engana aquele que pensa que para desenvolver algo de qualidade e consistência deve empregar inúmeros IF’s e infinitos For While. Mantenha um código claro e simples.

SEPARAR BACK-END DO FRONT-END – PROCESSOS DEMORADOS E PESADOS

Se você precisa utilizar funções pesadas e demoradas, organize-as de forma que rodem através do back-end. A parte mais importante sempre é a execução do Front-end. O que não quer dizer o back-end não pode ser afetado. Analisar funções e os processos, organizando-os entre back-end e front-end, podem garantir uma boa diferença de desempenho.

OTIMIZAR A BASE DE DADOS DO WORDPRESS

Esta é uma das primeiras dicas, quando qualquer um percebe que o site está mais lento, principalmente no carregamento de informações. A otimização de sua base de dados pode ser feita via plugin, mas escolha o mais simples e leve, que é não utilizar plugins desnecessariamente.

Acessando o phpMyAdmin você pode verificar que espaços inúteis podem estar contidos no banco. Bem como, revisões de post, links e comentários. Tudo aquilo que é informação desnecessária você pode remover do seu banco de dados.

REMOVER FUNÇÕES AUTOMÁTICAS PARA REVISÕES, AUTO SAVE E DEBUG

Se o status de revisão para posts, funções de auto save (salvamento automático) e o uso da função de debug não são tarefas importantes ao seu projeto, remova e desabilite tudo que não usa. Por vezes mantemos funções e tarefas que jamais usaremos no WordPress. Sendo que, livrando-se delas, a capacidade de desempenho do servidor é afetada.

UTILIZAÇÃO DE CACHE

Técnica muito utilizada, é a adoção de memória cache. Muito útil para sites que possuem conteúdos estáticos, o armazenamento de cache influencia diretamente na melhora do desempenho de seu site. Começar a utilizar cache pode ser por meio de plugins, ou até mesmo, explorando as funções nativas da plataforma.

Melhorar o desempenho e ligar o turbo do seu WordPress, não requer nenhum segredo. Entretanto, um olhar atento e observador para como as coisas estão se desempenhando, é algo necessário. Não esqueça:

  • Utilize plugins quando for necessário;
  • Escolha as opções mais simples. Estas costumam ser também, as mais leves;
  • Estude, conheça e identifique o que precisa melhorar. Então escolha a função certa para cada necessidade.
wordpress custon

Com o wordpress custom você pode instalar quantas vezes quizer e em qualquer domínio, a instalação do wordpress custon está em sua versão V2.4, com base no wordpress 4.4.2.

O wordpress custom é ideal para entregar serviços personalizados para seus clientes com a personalização wordpress, assim obtendo uma maior credibilidade pois não é exibido o nome wordpress no cms.

A atualização é tudo normal, atualização do wordpress e plugins etc.. Essa versão conta com alguns plugins já instalado como woocomerce e Estatísticas . Você encontra o wordpress custom em nosso site ou entrando em contato com nossa equipe do Script Certo!

-Fácil instalação

-Instalação ilimitada

-Auto instalador

-Personalizado Menus, login e painel (Pode alterar nome dos menus e ordens)

-Deixar menu invisível ou desabilitado

-O wordpress custom é ideal para transmitir uma maior credibilidade

-Atualização: V2.5  Criador de layouts + Tema base

-Etc…

VAR

Produto Variável é um tipo de produto que é muito útil quando é necessário agrupar produtos através de umAtributo.

É possível criar n variações para cada produto, cada variação pode ter seu preço, estoque, código, imagem e dimensões diferenciadas. Cada atributo irá gerar variações para cada termo inserido. Se dois ou mais atributos forem definidos para este produto, irá gerar-se produtos com a junção de cada termo dos atributos.

Por exemplo, temos uma loja que vende uma camiseta em diversos tamanhos e cores. Dentro da área administrativa do site, seguimos para o menu Produtos > Atributos.

1

 

Criamos os atributos Cor e Tamanho e definimos os Termos em cada atributo. Agora vamos criar o nosso produto variável. Na área de Dados de Produto, selecionamos a opção Produto Variável, alguns campos irão sumir da aba Geral, seguimos para a aba Atributos.

2

No campo Atributos personalizados do produto, selecionamos o atributo que criamos e clicamos em Adicionar. Repetimos o processo até termos os atributos que desejamos adicionados. Depois do atributo ser adicionado, ele nos oferece a opção de selecionar quais termos se aplicam a este produto. Lembre-se de sempre selecionar as opções Visível na página de produto e Usado para variações. Após inserir os atributos desejados e seus termos, clicamos em Salvar atributos, este processo pode demorar algum tempo, dependendo da quantidade de atributos inseridos.

3

Agora vamos configurar cada variação, seguimos a aba Variações. Aqui podemos adicionar uma ou várias variações de produtos. Como cada variação tem um estoque diferenciado, clicamos no botão Linkar todas as variações, dessa forma, serão criadas várias variações que poderemos cadastrar detalhes diferentes.

2

Agora vamos configurar cada variação, seguimos a aba Variações. Aqui podemos adicionar uma ou várias variações de produtos. Como cada variação tem um estoque diferenciado, clicamos no botão Linkar todas as variações, dessa forma, serão criadas várias variações que poderemos cadastrar detalhes diferentes.

wordpress-bg-medblue

São várias as alterações realizadas pela comunidade e pela equipa do core. Todos os anos assistimos ao lançamento de pelo menos duas novas versões do WordPress. Esta versão está cheia de novidades e melhoramentos à muito pedidos pelos usuários do WordPress.

Algumas novas funcionalidades incluem várias mudanças a nível de código. Decidi neste artigo separar em duas partes, sendo a primeira apenas uma visão geral do que foi melhorado ou incluído e a segunda um apanhado do que foi modificado em termos programáticos.

NOVO SISTEMA DE UPLOAD DE FICHEIROS

O sistema de upload de ficheiros nativo do WordPress raramente sofreu alterações desde que foi implementado na grande versão 3.0. Um dos graves problemas era a impossibilidade de gerir galerias diferentes para vários posts sem que se tivesse que carregar todas as imagens para cada um dos posts. Como seria de esperar de já à alguns anos, o sistema de gestão de ficheiros e imagens do WordPress foi completamente reescrito nesta versão incluindo, além dessa, muitas outras melhorias.

Interface renovada, mais rápida e intuitiva

O botão de carregamento da interface de upload e gestão de imagens e ficheiros foi melhorado. No lugar do texto “Adicionar/Carregar” seguido do ícone, agora encontramos um botão semelhante aos botões usados nativamente em toda a administração. O texto desse botão também mudou para “Adicionar media”. Isto quer dizer que developers de plugins que adicionem botões nesse sitio deverão também adaptar-se progressivamente à nova interface.

Por outro lado, o usuário já não necessita de esperar para que o Thickbox (o script que lidava com o carregamento da iframe do sistema de upload de media) para carregar todo o conteúdo. O conteúdo já se encontra activo assim que o usuário aceder a uma página que tenha um botão “Adicionar Media”, porém esse overlay encontra-se escondido e aparece assim que chamado pelo usuário.

A nova interface muda radicalmente o conceito de gestão de ficheiros e imagens. O carregamento de imagens é feito de uma forma mais parecida com a do Google+, com sistema de drag-and-drop. Do lado esquerdo encontramos uma barra lateral com os links para inserir imagem por upload ou URL, criar uma galeria ou escolher apenas algumas imagens da biblioteca. Criar galerias tornou-se bastante mais simples visto que basta seleccionar da biblioteca as imagens que pretendemos inserir como galeria a determinado post.

Mudanças na core ao nível da gestão de upload

Para que essa mudança da biblioteca acontecesse foi necessário modificar vários ficheiros da core incluir mais funções e modificar um pouco a forma como a gestão de upload é feita. Uma das grandes alterações é a detecção imediata das extensões de imagem do PHP e da existência do Image Magick, uma colecção de ferramentas para manipulação de imagens através da linha de comandos, disponível para Linux. Muitos programas como o famoso GIMP usam esta biblioteca como backend, porque não o WordPress também? Isto torna (no futuro) a conversão de imagens e ficheiros como PDF muito mais eficaz e abrangente podendo, por exemplo converter imagens para outros formatos e PDF e vice-versa dentro da própria biblioteca.

Biblioteca de imagens e ficheiros

As mudanças não se ficam apenas pelo sistema de upload, também a biblioteca de ficheiros vai mudar na próxima versão. Agora todos os anexos (imagens ou ficheiros) são mostrados através do post.php, assim torna-se mais fácil aos developers modificarem ou acrescentarem novas metaboxes. Falando em metaboxes, existem uma nova caixa chamada “Attachment Page Content”, com um pequeno editor de quicktags onde é possível adicionar um texto que aparece na página de anexos no front-end. Esta mudança finalmente torna a página de anexos em algo de útil, por exemplo, um fotógrafo poderá incluir informação e detalhes acerca da imagem em anexo.

Opção de mudança do directório de upload – esta opção anterirmente encontrada sobre a página de opções de media foi removida. A partir de agora, para modificar o local de upload é necessário incluir através de uma constante o local diretamente no ficheiro wp-config.php

GESTOR DE LINKS

Este caminho também foi anteriormente previsto pela comunidade. É raro alguém usar o gestor de links do WordPress, certo? Foi removido nesta versão! Eu pessoalmente concordei com esta decisão desde o início, uma vez que o caminho do WordPress é inquestionavelmente o de um CMS, a inclusão de um sistema de gestão de links por defeito seria um absurdo. Na verdade apenas o acesso na interface foi removido, será necessário ainda tornar todo o módulo dos links deprecado e assim removido totalmente numa próxima versão. O bom disto é que você não terá mais que ver o link ali preso ao menu!

Esta decisão também dá espaço para que outros desenvolvedores de plugins criem versões melhoradas deste gestor que possa incluir um cusotm post type. Isto torna o WordPress cada vez mais fiável e rico.

Caso você ainda uso este sistema não precisa de entrar em pânico, ele ainda estará disponível se você pretender. Apenas terá que instalar este plugin e o gestor de links voltará a aparecer como era dantes com todos os seus links incluidos. Não deve estranhar esta decisão, uma vez que este módulo não era modificado desde a versão 3.0 (dois anos atrás).

GESTOR DE PLUGINS MELHORADO

Houve alguns melhoramentos a nível da interface na gestão de plugins, incluindo algumas tags que possivelmente poderão ser usadas no futuro. Fala-se de futuramente existirem níveis de plugins e dependências entre plugins, algo já usado nas distribuições Linux como os programas APT-GET e YUM. Possivelmente serão incluídos no diretório alguns plugins oficiais com classes e bibliotecas para ligação a outros sites e redes sociais aos quais desenvolvedores de outros plugins poderiam usar sem terem que reinventar a roda. Por exemplo, um plugin que acede ao Facebook poderá usar e depender do plugin oficial escito pelo Facebook. Dessa maneira quando um usuário instalasse esse plugin ele iria automaticamente buscar as dependências necessárias sem que o usuário sequer notasse.

Foi incluido também um link para os plugins favoritos no diretório de plugins. Isto torna-se mais fácil para que desenvolvedores e bloggers instalarem novos WordPress e incuirem os plugins que mais usam sem ter que perder muito tempo à procura.

PUBLICAÇÃO REMOTA E XML-RPC E OEMBEDS

O XML-RPC é o protocolo usado pelo WordPress para publicação de conteúdo remotamente. Anteriormente seria necessário activar essa opção na administração do WordPress para que pudéssemos usá-la. Hoje em dia o XML-RPC já não é mais um risco de segurança no WordPress e vem activo por defeito nas novas instalações. A classe começou a ser reescrita na versão 3.4 e foi concluída na totalidade nesta versão. Actualmente é possível fazer quase tudo através da API.

Seguindo os mesmos passos que a classe XML-RPC o sistema OEmbeds também foi tornado activo por defeito e a opção de desactivar eliminada. Novos OEmbeds foram acrescentados porém ainda não existe uma lista oficial de todos os provedores que já foram incluídos.

A página de privacidade do menu de opções também foi removida e a sua única opção (controlar a visibilidade dos motores de busca) transitada para a página de opções de leitura.

TWENTY TWELVE

Com a mudança de versão do WordPress também muda o seu tema por defeito. O Twenty Twelve é um tema inspirado na simplicidade e que explora todas as novas funcionalidades do WordPress. Embora a maior parte não use o tema por defeito, este é óptimo para quem deseja aprender sobre WordPress, apresentando uma interface limpa e minimalista com apenas uma Sidebar e uma posição de Menu, tornando a aprendizagem mais agradável.

Além disso, algo que tem sido incluído apenas em temas premium. Este tema vem com dois sidebars extra para colocar widgets na frontpage do seu website.

PARA DEVELOPERS

Inclusão da biblioteca BackBone JS

Esta nova interface de administração está agora assente na biblioteca backbone.js, uma framework JavaScript que melhora a rapidez de carregamento das páginas, da performance do próprio javascript no browser e partilha da experiência de utilização devido ao modelo MVC aplicado. Se você ainda não sabe trabalhar com o backbone.js, sugiro que aprenda rapidamente, uma vez que esta será a biblioteca de futuro a ser usado dentro da administração do WordPress. Com este modelo MVC será possivel criar plugins que compartilhem sem necessidade de “reinventar a roda” os elementos nativos da interface do WordPress.

É possível extender as interfaces atualmente criadas e encacha-las noutros eventos javascript, como por exemplo a criação de uma caixa de diálogo personalizado. Um óptimo exemplo é a caixa de selecção de image destacada de um post. Poderá encontrar o código aqui -wp-admin/includes/meta-boxes.php

Manipulação de imagens

Foi criada a classe WP_Image_Editor que serve como abstração para manipulação de imagens dentro do WordPress. Introduziu-se também a classe WP_Image_Editor_Imagick que implementa os métodos de manipulação para o Image Magick. Para quem não sabe é uma biblioteca de funções de manipulação gráfica usada por muitos programas e que apresenta muito mais funcionalidades e performance que a biblioteca GD. Assim, se o servidor suportar o WordPress trabalha diretamente com o Image Magik. Actualmente apenas faz cortes e redimensionamentos, no entanto futuramente será possível fazer muito mais. Os plugins também poderão servir-se facilmente destas bibliotecas, basta espreitar aqui wp-includes/class-wp-image-editor-imagick.php

UTF8 por defeito – Já não existe a necessidade de mudar a opção de codificação do conteúdo uma vez que UTF-8 é largamente usado em todo o mundo. Aqui fica o ticket que “denunciou” esse fenómeno.

Especificar um diretório de uploads – Agora só será possível alterar o diretório de upload de ficheiros globalmente através da constante UPLOADS que deverá ser colocada no wp-config.php. (Ver este ticket para mais detalhes).

Auto OEmbeds activo por defeito

Está também activo por defeito os auto OEmbeds. Também foram incluídos novos fornecedores nesta versão embora uma lista oficial ainda não tenha aparecido. Se por algum motivo pretender desactivar por defeito poderá usar o seguinte código e colocá-lo num ficheiro na sua pasta de plugins:

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
<?php
/**
 * Plugin Name: Disable Auto OEmbeds
 * Version:     0.1
 * Plugin URI:  http://www.escolawp.com
 * Description: Disable Auto OEmbed client for WP >= v4.4
 * Author:      Vitor Carvalho
 * Author URI:  http://www.escolawp.com
 */
remove_filter( 'the_content', array( $GLOBALS['wp_embed'], 'autoembed' ), 8 );

Servidor XML-RPC activo por defeito

Também o XML-RPC está activo por defeito uma vez que a classe está concluída e totalmente implementada, as questões de segurança já não são um problema. No entanto se pretender desativar novamente o servidor XML-RPC do seu WordPress basta colocar o seguinte código num ficheiro dentro do diretório de plugins:

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
<?php
/**
 * Plugin Name: Disable XMLRPC
 * Version:     0.1
 * Plugin URI:  http://wpengineer.com/?p=2484
 * Description: Disable XMLRPC server for WP >= v4.4
 * Author:      Lutz Schröer
 * Author URI:  http://elektroelch.net/
 */
add_filter('xmlrpc_enabled', '__return_false');

Para mais informações ver este ticket no Trac.

Inclusão de colunas de taxonomias no edit.php

Tornou-se mais fácil incluir colunas da custom taxonomies nas tabelas de listagem (edit.php) de post types. Agora bastará passar o argumento show_admin_column => true durante o registo da função register_taxonomy. Existe também uma forma de alterar o comportamento usando o filtro:

1
add_filter( 'manage_taxonomies_for_{$post_type}_columns' ... );

Ver este ticket para mais detalhes.

Mudanças ao nível das Query

É possível fazer a query de usuários através da sintaxe meta_query usada no WP_Query. Foi incluído esse mesmo método na classe WP_User_Query. Assim torna-se mais fácil procurar usuários com determinadas características. Por exemplo, se você quiser fazer uma query por usuários que têm o nickname igual a um certo valor você poderá fazer isto:

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
$args = array(
        'meta_query' => array(
                array(
                          'key' => 'nickname',
                          'value' => 'editor'
                )
        )
);
$user_query = new WP_User_Query($args);
//loop trough results
if(!empty($user_query->results)){ foreach ($user_query->results as $user){
        printf("<p>We have found user: %s</p>", $user->data->display_name);
}}

Também foi incluído um novo valor para o parâmetro orderby da classe WP_Query. O valor post__in permite que se consiga fazer uma query com os IDs dos posts incluídos no parâmetro post__in  com a ordem com que se encontram no parâmetro. Esta alteração parece pequena mas muda muito. Por exemplo  uma das grandes mudanças trata-se da reimplementação da shortcode gallery id=”5,12,3,95? que converte em galeria de acordo com a ordem dos IDs.

Por último, foi finalmente criada a classe WP_Post que agrega em métodos e propriedades as várias funções que antigamente eram constantemente carregadas. Neste momento essas funções passaram a ser wrappers dos métodos da classe e a classe carrega inicialmente várias propriedades que serão usadas várias vezes pelos vários posts. Assim conseguiu-se reduzir o tempo de carregamento e a carga no processamento do script.

Estas são as grandes novidades do WordPress 4.4. Algumas fontes usadas neste artigo foram provenientes do WPEngineer.com e OneExtraPixel.com incluíndo alguns screenshots.

woocommerce-591x310

O QUE É WOOCOMMERCE?

O WooCommerce é um plugin gratuito que permite a criação de lojas virtuais diretamente através do WordPress. Ele funciona como um kit de ferramentas modular contendo os elementos mais comuns em eCommerce como carrinho de compras, gerenciamento de estoques, estatísticas, gateways de pagamento, etc. O WooCommerce foi criado pela empresa WooThemes de forma opensource e traduzido para diversas línguas, inclusive português brasileiro. Por padrão o WooCommerce é integrado ao PayPal, mas é possível integrar outros métodos de pagamento através de extensões gratuitas e pagas.

Em resumo, é uma ótima ferramenta para quem já está acostumado com o WordPress e pretende criar uma loja virtual simples.

COMO FUNCIONA

O plugin adiciona algumas features ao WordPress como tipos diferentes de páginas (carrinho de compras, checkouts, estoque…), post customizados para pedidos e produtos, widgets, shortcodes e novos papeis de usuário para administradores e clientes. Isto permite a criação de lojas tanto de produtos físicos quanto para itens online adquiridos via download (como músicas e livros digitais).

VANTAGENS DE DESENVOLVIMENTO

A documentação extensiva, a grande participação da comunidade na criação de extensões, o vinculo com o WordPress e a possibilidade de criar temas personalizados fazem do WooCommerce uma ferramenta atrativa para desenvolvedores que pretendem se aventurar no mundo do eCommerce. Como a integração funciona através de variáveis pré-criadas não é necessário possuir um conhecimento aprofundado em programação back-end para obter um resultado interessante. Outro ponto bacana é a integração com o Schema que pode dar um empurrãozinho na questão de SEO.

Para a pessoa que vai de fato administrar a loja o ambiente familiar do CMS pode pesar a favor da ferramenta, outras funcionalidades como integração com o Google Analytics e estatísticas de compras em formato de gráficos também são interessantes. Já o usuário final pode curtir o processo simplificado de compra e a integração com redes sociais (é possível compartilhar descontos, por exemplo). É claro que diversas outras ferramentas possuem os mesmos atributos e, obviamente, se você tiver conhecimento de programação poderá construir um sistema muito mais robusto e complexo. Em geral este é o caminho mais recomendável, afinal, você pode criar algo exclusivo levando em conta as necessidades específicas do seu projeto. Mas nem sempre o tempo e orçamento contam a nosso favor e a praticidade de uso certamente é a característica mais interessante do WooCommerce.

REQUISITOS MÍNIMOS

  • WordPress 3.5 ou superior;
  • PHP 5.2.4 ou superior;
  • MySQL 5.0 ou superior;
  • Modulo de apache mod_rewrite (para permalinks);
  • Suporte a fsockopen (para gateway de pagamento IPN);
  • (opcional) Certificado SSL para gateways de pagamento diretos.
  • (opcional) Alguns plugins para WooCommerce requerem CURL.
  • (opcional) Alguns plugins para WooCommerce require SOAP.

INSTALAÇÃO

Instalar o WooCommerce não é muito diferente de instalar qualquer plugin de WordPress. Entre no seu painel de administração, escolha a opção Plugins na sidebar e clique em Adicionar Novo. Digite “WooCommerce” no campo e busca. Deve ser o primeiro resultado que aparecer, mas por garantia se certifique que o desenvolvedor é WooThemes. Agora é só clicar em Instalar. Fácil e indolor.

Se a mensagem roxa gigante aparecer você está pronto para começar. Clique em instalar as páginas do WooCommerce.

woocommerce-bemvindo

download

A globalização mudou o mundo dos negócios!

O comércio eletrônico está mudando, completamente, o modo de funcionamento de muitos negócios, depois que se iniciou a era da globalização. A empresa, para destacar-se, necessita integrar-se a esta nova economia.

Num e-Commerce (loja virtual) não há necessidade da presença física nem do comprador, nem do vendedor; não necessita do manuseio de papel moeda e, tampouco, necessita da mercadoria no momento da transação. Nas lojas virtuais, a relação ocorre entre um comprador e um computador localizado em qualquer lugar do planeta.

Um projeto de e-commerce bem elaborado pode reduzir os custos de todo o seu ciclo comercial de um modo surpreendente. Levar o serviço ao consumidor a níveis jamais imaginados. Entrar em mercados que se achavam distantes. Criar novas possibilidades de receitas. E, por fim, redefinir a própria natureza do seu negócio.

As lojas virtuais desempenham um papel estratégico

É num e-Commerce que o usuário será apresentado aos produtos e, quiçá, vai se sentir motivado para realizar a compra. Partindo-se da premissa que os produtos são de interesse do usuário e estão sendo oferecidos a um preço justo, a decisão de compra vai depender da qualidade da loja virtual em transmitir informações precisas ao comprador; além da confiabilidade, segurança e facilidade de navegação encontrada.

Hoje, o e-Commerce no Brasil já é uma realidade concreta e com perspectivas muito positivas para o futuro. Um dos indicadores que mostram um grande espaço de penetração: atualmente, no Brasil, cerca de 17 milhões de pessoas já utilizam o Internet banking. Essas pessoas já possuem: o acesso à rede e a renda para consumir. Estão prontos para serem consumidores on-line.

Por-que-sua-empresa-deve-investir-em-um-blog

O blog é uma das principais ferramentas de social media presentes hoje no meio on-line. Há quem diga que o auge desse mecanismo já tenha passado por causa daconsolidação de redes sociais como o Facebook; realmente, as redes sociais são maispráticas e rápidas para compartilhar conteúdos e opiniões, porém o blog é a forma mais eficaz de dialogar com o público-alvo, expressar opinião sobre determinado assunto, promover negócios e gerar conteúdos interessantes e mais bem abordados.

Além de contar com um site otimizado capaz de receber um tráfego qualificado, toda empresa deveria considerar divulgar em um blog corporativo os serviços que oferece. O motivo é simples: o blog funciona como um espaço para contato direto com o público por meio de comentários, de forma que dúvidas possam ser resolvidas e opiniões sobre o conteúdo possam ser compartilhadas; e isso, consequentemente, faz que ointercâmbio de contatos e interesses possa acontecer, gerando resultados para a companhia (seja convertido em vendas, acessos, visitas, contatos, etc.).

Apostar em um blog é uma excelente oportunidade para ganhar visibilidade perante osconcorrentes que não trabalham com mídias sociais, é um caminho para mostrar opinião e domínio referente ao segmento em que a empresa atua não somente cominformações corporativas, mas também com assuntos relevantes e de interesse do público. Ao tornar-se referência em conteúdo, a empresa ganha a credibilidade que de longe a diferencia dos concorrentes.

Ao ser atualizado diariamente blog gera indexação de conteúdos, ganhando assim maior remagiFlevância nas pesquisas do Google, por exemplo. Isso acarreta no aumento dePageViews, compartilhamento de conteúdo e, consequentemente, em mais interessados chegando às paginas sobre serviços da empresa.

WhatsApp - ✅ Converse Agora Conosco! 🤝